One life, one chance

Só precisei vê-la uma vezE soube que ela era minha.Rolou um upload mútuo.Sentimento pra lá de indescritível.Foi no terceiro vagão grafitado,No meio da segunda fileira.Ela usava um branco e curto vestidoTinha um castanho solto e lisoGargantilha e all-star surrado. Ela só precisou me ver uma vezE ela soube que eu era dela.Rolou um download mútuo,Sentimento... Continuar Lendo →

Atibaia

Não se podesmentir para o lagoO reflexo é a verdadevidrada em vocêTal como as pedrasSuas promessasCruzam o espaçoSaltando a margemDe lado a ladoAté afundar,apagar,esquecer. Não se podesmentir para o lagoEventualmenteDeus tambémIrá saberAs orações sedesmanchamNo lagoFeito cinzeiroAbraçando oCigarro"RecomeçarPor onde?” ou“O que fizPra merecer?". Não se podesMentir para o lagoTroque esse discoFaça por merecer. Não se podesMentir... Continuar Lendo →

Humaitá

Tanta amarguraBela florTanto ódio eDesamorVeja os pássarosDo outroladoEntortam os galhospor amor. Esquece eleBela florFinge que nuncaaconteceuNa estante temum quadroEm baixo dele,um livro meu. É um presenteBela florEm homenagemou despedidaSinto falta dosSeus lábiosO que há deerradoCom as nossasvidas? Há esperança?Bela florPra começarmosVarrendo asdesculpas?Estou livreAs dez e meiaDe malas prontasMas cheiasde dúvidas. No quiosqueBela florDa LagoaRodrigo de... Continuar Lendo →

Notas no fundo do armário

02/2018, Não ser capaz de escolher quem amamos é, provavelmente, um dos maiores defeitos da espécie humana. Amar alguém que não te ama e ser amado por alguém que você não quer definiu, define e definirá a condição amorosa da maior parte das pessoas que nasceram, nascem e nascerão nesse planeta. Quanto a isso, não... Continuar Lendo →

Pernambuco

Excomungado sejam todos! Todos esses pujantes ventos Que, de súbito, invadiram Suas flores cinzas, Suas mudas lindas, Suas poses finas, Soterrando o leve da luz E o mudo culto ao fruto Doce fruto do teu cajá. Dos galhos frágeis Perfeitamente secos Pouco a pouco os vejo Nos vestígios desleixados No marketing do consumo Pobre lenha... Continuar Lendo →

Pra onde os gatos vão depois que morrem

Disse que a vida só cansa, que tudo tava uma merda, a voz saiu assim abafada. C. me disse outras coisas também, mas não dei importância, eram coisas confusas. Desvarios de quem perde, não prestei atenção.  O computador estava ligado – precisar dessa máquina para viver é uma merda. C. foi deitar, não queria mais... Continuar Lendo →

Cinzas

Não são as cinzas das florestas incendiadas,Que a neblina posta chama apaga,São as luzes que inflama em brasa,A vida que em gotas passa.É o tempo, grande relojoeiro,Que em dia, hora marcada,No momento que esparsa, se esconde,Oculta a espada do fim da vida.É olhar o lado bom de viver,Com muito apreço e verdade,Que com veracidade, o... Continuar Lendo →

Caótico

Outro dia vi correndo por aí, A passadas largas, no ritmo do vento, O que apressado, passado, fugia. Perdido seguindo seu destino, Em paz beijando sua direção. Parado estava, parado fiquei, Olhando para minha perdição, Os pés no chão, pele ardente pelo sol, Como a multidão que espera o trem. Olhei fixadamente, era eu! Partindo... Continuar Lendo →

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: