My Queen

Observando o ritmodaquele suspenso parde pernasInevitavelmente, divago;"o que será que os racistasfariam com elana corrida pelos direitos civisdos anos 60"?E quando ela debate ideaispau a pau comigo,Noto convicção naquelesinflexíveis olhosInevitavelmente, reflito;"quantas tantas outraslhe dariam ouvidosem meio a revoluçãoFrancesa?"E ao exaltar o peso deTamanha coragem empilhadasobre ombros tão pequenosInevitavelmente, imagino;"Nem Ramsés seria capazde pará-laDurante o golpe... Continuar Lendo →

Solitude

Musica sugerida para leitura do texto aqui Entro no carro, dou partida e avanço em direção a autoestrada mais próxima. Sinto-me limpo. Arrumado e perfumado. Bem agasalhado e de bolso cheio. São duas da manhã de uma noite gélida, silenciosa, chuvosa e vazia. A garoa adquire contornos nas luzes dos postes, dos apartamentos, dos hotéis,... Continuar Lendo →

(sem título)

como se nunca tivesse existido. como se fizesse de cada instante um não instante.  as coisas existem antes mesmo de existirem? seria    acreditar em destino    acreditar que     as coisas existem antes de existirem? está tudo posto? roteiro pronto sem adaptações? ou tudo é improviso? coisas do acaso? as coisas vão se moldando?... Continuar Lendo →

Minhas cinzas

Olá, minha velha amiga. É um prazer escrever pra ti novamente. Sim. Eu sei. Eu realmente desapareci pra valer, confesso. Uma série de acontecimentos recentes na minha vida ocasionaram esse sumiço. Ah! Foram acontecimentos positivos. Acredite se quiser. E é exatamente por isso que eu decidi te enviar essa carta; para afastar as preocupações do... Continuar Lendo →

O corpo é um traste

eu continuo aqui. o temporal já passou. observo as baratas saírem do esgoto. todos já foram embora.   desço as escadas e caminho em direção à estação. sento no chão frio esperando o trem que vai para lugar nenhum, mas ele não vem. queria mesmo uma passagem pra lugar nenhum. embarco em direção à cidade fantasma.  ... Continuar Lendo →

é para você que escrevo (III)

v., espero esteja bem, perdoe a demora para retornar. cansaço me habita. li cartas, mas ousei começar pelo final. foi estranho. te escrevo agora porque sei que aguardas resposta para aquela carta enviada há meses. ando esquecendo as coisas, perdoa a demora. novidades quase nada. te respondendo: acho que a viagem não vai rolar. motivos vários.... Continuar Lendo →

é para você que escrevo (II)

r.,como vai? toda vez que te escrevo espero ansiosamente que a sua resposta chegue. uma espera agitada tal qual a espera pela queda do atual presidente. tenho uma máquina de escrever, decifrar minha letra horrível não será mais um problema para você. vizinhos batem à minha porta às duas da manhã para pedir que eu... Continuar Lendo →

Mistério Sagrado

Teus olhos castanhosFixados em mim,Cuja clareza competeAo momento inicialQue o universo foi criado. E todos os anjos da cidadeParam para contemplar,A beleza que há no momentoQuando dois olhares se amamNa eternidade de um instante. Ana Una do Rio Grande,Do Sul miúdo de cidadesOu do Norte sertão grandeDo Rio de Janeiro meu coraçãoDa Bahia de Uma... Continuar Lendo →

lonjuras

estranhezas dentro. medos que antes não tinha começaram a surgir. envelhecer causa estranheza, libera medos. comigo é assim. pra você também? pensava que envelhecer faria com que a coragem aparecesse mais, só que não tá sendo assim. pensava que o medo de acabar faria com que fizesse mais coisas, vivesse mais, sabe? tenho parado em... Continuar Lendo →

One life, one chance

Só precisei vê-la uma vezE soube que ela era minha.Rolou um upload mútuo.Sentimento pra lá de indescritível.Foi no terceiro vagão grafitado,No meio da segunda fileira.Ela usava um branco e curto vestidoTinha um castanho solto e lisoGargantilha e all-star surrado. Ela só precisou me ver uma vezE ela soube que eu era dela.Rolou um download mútuo,Sentimento... Continuar Lendo →

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: