Como de costume

Ontem sonhei com um lago
Em algum canto da Flórida
Tenho agora esse incômodo
Ora pressentimento
Ora sentimento
Duma deliciosa paz de espírito
Com cheiro de lenha e
Terra molhada
Numa cabana de madeira
Em algum canto da Flórida

O sonho começou
Quando vi a poeira no horizonte
E meu coração disparava.
Eu pulei do barquinho de primeira
Levando o almoço no anzol
A poeira dava lugar a picape e
A picape me presentava você
Usando chapéu de palha
E um longo vestido azul
Com o sorriso mais forte
Que a luz do sol de verão
Em algum canto da Flórida

Nós ouvimos James Brown
Enquanto o pescado cozinhava
Brincamos, nadamos; fizemos amor
E rimos com as notícias do Brasil
Dançamos, pescamos; fizemos promessas
E choramos com as notícias do Brasil
O dia então se foi e você partiu
Na sua picape, estrada, poeira
Eu voltei a ficar só, naturalmente
Acendi a fogueira e cantei e toquei
Em algum canto da Flórida

Cerveja, saudade, violão, solidão
Reunidos mais uma vez
É indiferente acordar
Há coisas que nunca mudam
É indiferente sonhar
Há coisas que não quero mudar
No Rio, na Lua, ali, acolá ou
Em algum canto da Flórida
Onde eu estiver a poeirá estará
Ofuscando seu sorriso
Camuflando seu vestido
E roubando todo o seu brilho
De mim

 

 

 

 

Um comentário em “Como de costume

Adicione o seu

Deixe uma resposta para vileite Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: